domingo, 24 de agosto de 2008




KIBON(M) SEM SER SORVANE

Ah! Como é bom sentir o sabor de fruta madura,do cheiro de madrugada insone , incrustada , na rede, na cama, no corpo. E mesmo sabendo que o amor se vai e se esvai, a gente se contagia de saudade que dói, e enlouquece, não sei se é porque ela é contundente ou porque abençoadamente somos sem juízo. Mas a gente não quer sentir essa saudade , que martela como pingo de torneira, e nos torna assassinos sem provas, unicamente porque sentimos vontade de matar a ausência com um simples gesto , apenas conseguindo chegar ao encontro. Não na hora marcada, mas na hora esperada. O corpo grita, a mente chama e a razão diz sim e não, é um tumulto interno, tão intenso que disfarçamos nossos anseios, encobrimos a paixão, e desejando sem controle, nos cobrimos de segredos, trancamos todas as portas, escondemos as chaves, mas invariavelmente esquecemos de travar as janelas.
Então, mesmo estando inteiros , nos sentimos incompletos e despedaçados, colocamos no objeto amado todas as possibilidades de completude, mudamos internamente, alargamos nossa solidão, até achar que o ar comprimiu, que devastamos totalmente a Amazônia , e não só o pulmão do mundo morreu, nós morremos também.
É difícil imaginar qualquer coisa, sem o olhar do outro, nos arrependemos de não ter aprendido Braille, para decifrar as artemanhas do amor que é cego e nos cega. Nos culpamos como boxeador que sabe que perdeu porque abriu a guarda, mas não aprendemos a dureza da insensibilidade , derretemos feito chocolate numa boca quente, apostamos no que era para ser apenas uma forma teimosa de insistir.
Mesmo que as cartas não decidam o jogo porque há greves de carteiros, que as mensagens eletrônicas não passem no crivo do farewell , e que a permanência virtual não encontre as fibras ópticas de um olhar, arriscamos ridiculamente: não dá para sermos cúmplices ao menos numa “casquinha” com sorvete?

8 comentários:

wilma disse...

tá massa!

Wilma Santos disse...

vc como sempre é d++++...essa sua visã de se inspirar ,com esses exemplos fala sério!sem comentários.xerim continue sempre assim ou mais kkkk

keyla amarantes disse...

olha, sinceramente só estou aqui pq vc me chamou. E ao de vc se não tivesse me avisado que há bandeira no porto. Viajante como sou , lhe mataria por não ter me avisado que era a hora.
bjs
sempre

Mena Maria disse...

Ah!...o tempo...a saudade...a ausência...deixando ir...esvair...pra que né?... rsrs...este não está só lindo...está BELÍSSIMO...mas não deixa só as janelas sem travas...não só abra... como remova as portas tbém...Dona Moça! sem maiores comentários...ah! se a tela ainda não tem nome...deveria se chamar "encontro de corpos...com gosto e cheiro de fruta madura"... rsrsrsrs!

Érica disse...

Erica...
O que dizer de um texto assim descrito? Palavras como essas é que quebram os cadeados das portas e escancaram as janelas... Você é uma Sherazade...

Libélula disse...

Bom... falar do que você escreve, de como você escreve, me falta as palavras, talvez possa resumir em uma única palavra DOM, é isso dom é o que você tem, é simplismente arrepiante decifrar tuas idéias, ler seus textos é ver um filme muito real da vida. Cada vez qu demoras a postar é só uma forma de reciclagem para que venha um proxímo texto muito mais perfeito do que o anterior.
Desejo-lhe sorte e boas inspirações sempre, para que você possa nós dar sempre boa alegrias com seus textos.
Beijos e sucesso!!!!

Eddi disse...

Eddi Maria
Esse ai não dá nem para comentar, é simplesmente estonteante, deixa qualquer um embriagado.
Parabéns minha escritora predileta.

Anônimo disse...

Tantos comentários lindos e sinceros....Vc, como sempre, está de parabéns!...Adoro a forma como vc pede emprestado as palavras e as transforma em pensamentos, emoções...VIDA...É incrível como me identifico com alguns textos...Vc tira as coisas da minha cabeça...Vc está apenas começando uma carreira já consagrada....bjs no teu coração lindo!