terça-feira, 8 de outubro de 2013

TÃO PERTO DO EQUADOR

E O TEMPO LEVOU

Dos meus olhos vejo os teus, 


Nas minhas lembranças percebo tua sombra na mesa, na 

cama.


No teu abraço um cheiro longínquo do que fomos


Desvio o olhar para a janela, para ver o tempo passar


Mas é nela que tu reapareces 


Como se a vida ignorasse o que o tempo levou.

Texto: Lígia Beuttenmüller

Um comentário:

Emanuel Coelho disse...

Amor és tu que me acendes,
Chama imensa de fulgor
Acredito que tu me sentes
Pois eu sinto o teu amor…

Poesia.com.amor.blogspot.com